Descubra quais os melhores tipos de instalação e veja sugestões de limpeza e manutenção da sua rede de proteção.

As redes de proteção para janelas têm sido cada vez mais utilizadas em residências urbanas, como forma de garantir a segurança de moradores e animais domésticos, sem comprometer a visibilidade, a luminosidade, a decoração da casa e a circulação de ar. Tire aqui todas as suas dúvidas e saiba como aumentar a vida útil da sua rede de proteção:

Em quais locais é possível instalar as redes de proteção?

Redes de proteção podem ser utilizadas em janelas, sacadas e varandas de diversos tamanhos, ou ainda como cercas em áreas externas, quintais, jardins e ao redor de piscinas, evitando acidentes com crianças ou animais domésticos.

Condomínios residenciais têm cada vez mais utilizado as redes de proteção como forma de segurança especialmente em quadras esportivas, campos de futebol ou golfe para controlar a saída de bolas, por exemplo. Indústrias e construtoras civis também vêm utilizando redes de proteção para reduzir riscos de acidentes de trabalhos com trabalhadores, bem como forma de isolar e fechar áreas de acesso restrito, sem a necessidade de construções mais elaboradas e obras mais caras.

Como é a instalação das redes de proteção?

Apesar de muitas pessoas considerarem fácil instalar uma rede de proteção para janelas por conta própria (há até tutoriais no Youtube), é fundamental contratar uma firma da área que conte com uma equipe de profissionais especializados na instalação de redes de proteção.

A instalação deve ser precisa e completa, oferecendo maior segurança aos moradores e utilizando materiais certificados, de alta qualidade e durabilidade. Os ganchos de fixação devem ser colocados com uma distância de 40 centímetros separando cada um, e a rede deve ter a parte da abertura voltada para a frente, sendo totalmente fechada para evitar aberturas. As redes de proteção também devem suportar o peso do corpo de um adulto suspenso.

Como é feita a manutenção das redes de proteção?

Quando em condições normais de uso, as redes de proteção confeccionadas com polietileno podem durar até de dez anos, mais ou menos. É importante sempre verificar o estado dos ganchos de fixação, que não podem apresentar ferrugem ou desgastes, o que compromete a resistência, e deverão ser trocados, nesse caso. As redes também devem passar por uma vistoria de dois em dois anos, feita por um técnico especializado, que irá realizar a manutenção também de ganchos e cordas.

Para a limpeza, é necessário apenas utilizar sabão ou detergente neutro e um pano úmido que irá remover a poeira mais grossa. Evite utilizar produtos químicos ou abrasivos, e não tente retirar a rede ou mover os ganchos.

Qual o tipo de material mais recomendado para a fabricação de redes de proteção?

O ideal é que as redes de proteção sejam confeccionadas em materiais resistentes, como o polietileno, que é o recomendado pelo conselho de engenharia. Isso se deve, pois esse material possui alta resistência e não apresenta grande deformação ao longo do tempo.

No entanto, é preciso prestar atenção, pois o polietileno não deve ser reciclado para que o máximo da resistência do material seja aproveitado. Em seu estado mais puro, pode ser tão forte quanto o aço. Além disso, é importante certificar-se de que o material recebeu tratamento contra o clima, ferrugem, passou por testes de resistência e sofreu impermeabilização.

Conteúdo gentilmente produzido para o nosso blog pela Stampa Redes

Confira mais sobre redes de proteção no site da Stampa Redes. A Stampa trabalha apenas com redes de proteção de alta qualidade e performance, que são testadas e aprovadas segundo as normas técnicas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). A Stampa é distribuidora exclusiva das redes “fio tensor” ou “Equiplex tensor”, que apresentam 12% a mais de resistência em relação às redes tradicionais.